Thai Massagem

 
 
 
 
 

A massagem Thai-Yoga abre espaços no corpo e no espírito.

Dá tempo para o tempo fluir.

Relaxa. Tonifica. Desperta. Alonga. Cuida.

É uma dança. É movimento

 

Não sabemos ao certo quando e de que forma a massagem tradicional thai (nuad phaen boran) se desenvolveu na Tailândia porque as suas origens continuam a permanecer obscuras, dada a transmissão oral dos seus ensinamentos. É possível todavia afirmar que as suas origens nos remetem para um passado bem longínquo (III século a.c.), onde os princípios da medicina ayurvedica indiana e a tradição budista se cruzaram dando forma a uma prática de cura única do ponto de vista cultural.

 

A massagem Thai-Yoga é mais que uma massagem. É um processo de autocura, de autoconhecimento, de procura dum bem-estar geral e integrado, e de troca entre quem doa e quem recebe.

 

Através de um toque profundo e lento, e dum movimento continuo e ritmado a massagem thai promove um profundo relaxamento e um estado meditativo.

 

Os alongamentos, as torções, as pressões pontuais, o toque abrangente e as posturas de yoga assumidas visam, antes de tudo, desbloquear, reequilibrar ou estimular o sistema energético vital de cada pessoa (Prana) que circula nas linhas energéticas (Sen) ao longo de todo o corpo.

Para além disso, a massagem activa a circulação do sangue, tonifica, fortalece e alonga os músculos, alinha a estrutura, activa os tecidos e os órgãos, favorece uma respiração lenta e profunda, alivia eventuais dores e desconfortos e proporciona a sensação dum “corpo” mais leve e consciente.

 

PARA GRAVIDEZ E PÓS-PARTO

Durante a gravidez (a partir do 3º mês) o toque cuidadoso, lento e acolhedor permite á mulher de se “abrir” a este novo evento, proporciona um relaxamento profundo, uma nova consciência corporal e finalmente prepara o corpo da mulher para o momento do parto. No fim da gravidez, ou mesmo no trabalho de parto, a massagem, para além de relaxar, alivia as dores e os desconfortos. No pós-parto guia o processo de “fechamento do parto” para preparar a mulher para a nova experiência da maternidade. Nesta fase a massagem pode ser feita com a presença dos bebés, se as mães o desejarem.

 

A técnica do rebozo (pano em tecido resistente utilizado pelas parteiras tradicionais no Mexico) também pode ser utilizada para integrar uma sessão de massagem ou para uma sessão de massagem só com o próprio pano. Assim como a utilização de óleos pode ser contemplada, sobretudo durante o período da gravidez.

 

 

Terapeuta: Micol Brazzabeni

Duração das sessões: não menos que uma hora e meia (durante a gravidez a duração é mais flexível)

Prática: a massagem é feita em colchões no chão. É preciso vestir roupa confortável, mas não demasiado larga, para permitir movimentos amplos.